Porto Velho / RO - domingo, 24 de outubro de 2021
(67) 99967-8787

Em Rondônia: área destinada para cultivo de café diminui, mas produção aumenta

Publicado em: 22/09/2021 - 11:40

A Pesquisa Agrícola Municipal (PAM), divulgada anualmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontou que Rondônia permanece na quinta posição dos maiores produtores de café do país. Verificou-se ainda que a área plantada tem diminuído, mas notou-se um aumento na produtividade e como consequência o aumento de produção. Em 2020, no estado, foram produzidas 144 mil toneladas em 83 mil hectares, enquanto que em 2016 foram produzidas 90 mil toneladas em 105 mil hectares.

 

Os municípios rondonienses que se destacaram na produção de café, em 2020, foram São Miguel do Guaporé (44 mil toneladas), Cacoal (16 mil toneladas), Alta Floresta d’Oeste (15 mil toneladas), Buritis (11 mil toneladas) e Alto Alegre dos Parecis (nove mil toneladas).

 

Observou-se ainda que a produção de açaí tem crescido em Rondônia. Entre 2017 e 2020, a área colhida saltou 253 hectares para 356 hectares, representando um crescimento de 40,7%. Já a produção quase dobrou, subindo de 1.152 toneladas para 2.260 toneladas. Tendo produzido 1.154 toneladas, Porto Velho representou 51,1% da produção estadual em 2020. Candeias do Jamari (510 toneladas), Buritis (250 toneladas), Alto Paraíso (90 toneladas) e Ariquemes (45 toneladas) completam o ranking dos maiores produtores no estado.

 

Em relação à produção de banana, nota-se uma redução da área destinada a esta cultura e um aumento na produção. Em 2016, foram produzidas 76 mil toneladas em sete mil hectares. Já em 2020, foram 83 mil toneladas em seis mil hectares. As maiores produções rondonienses foram nos municípios de Buritis (14 mil toneladas), Governador Jorge Teixeira (dez mil toneladas), Porto Velho (nove mil toneladas), Cacoal (cinco mil toneladas) e Monte Negro (cinco mil toneladas).

 

A PAM também evidenciou a diminuição na produção de cacau. A área destinada a esta lavoura diminuiu 23% entre 2016 e 2020, passando de 11 mil hectares para nove mil hectares. A produção caiu de 5.272 toneladas para 5.069 toneladas. Os municípios que mais produziram foram Ouro Preto do Oeste (948 toneladas), Buritis (732 toneladas), Ariquemes (695 toneladas), Theobroma (451 toneladas) e Jaru (389 toneladas).

 

Soja aumenta sua participação em áreas plantadas de lavouras temporárias

 

A PAM mostrou ainda que a soja tem aumentado a sua participação na área plantada destinada às lavouras temporárias. Em 2016, 48% das áreas com lavouras temporárias foram destinadas este grão. Já em 2020, esta proporção subiu para 54,4%. O vice-campeão foi o milho, que estava em 34,2% destas áreas.

 

Ficou evidenciado também que os cinco municípios rondonienses que mais produziram soja representaram 55,5% da produção estadual. São eles: Vilhena, que produziu 197 mil toneladas e representou 14,7% da produção de Rondônia; Pimenteiras do Oeste, com produção de 145 toneladas; Corumbiara (142 mil toneladas); Cerejeiras (140 mil toneladas) e Chupinguaia (122 mil toneladas).

 

Em relação ao milho, observa-se um crescimento gradual na produção no estado de Rondônia entre 2016 e 2020, subindo de 602 mil toneladas para 1,036 milhão de toneladas. A área plantada teve aumento de 166 mil hectares para 246 mil hectares neste período.

 

Mais uma vez, os municípios do Cone Sul do estado são o destaque na produção de milho em 2020. Vilhena (230 mil toneladas), Cerejeiras (147 mil toneladas), Pimenteiras do Oeste (126 mil toneladas) e Corumbiara (119 mil toneladas) lideram o ranking estadual. Porto Velho, que produziu 96 mil toneladas, ultrapassou Cabixi e Chupinguaia e ficou na quinta posição.

 

Embora o estado não seja destaque na produção de amendoim, o produto apresentou aumento entre 2016 e 2020, com uma queda entre 2019 e 2020. No último ano, foram produzidas 169 toneladas de amendoim. As maiores produções rondonienses foram em Alto Alegre dos Parecis (52 toneladas), Porto Velho (17 toneladas), Cacoal (15 toneladas), Governador Jorge Teixeira (15 toneladas) e Cerejeiras (13 toneladas). Juntos, os cinco municípios corresponderam a 66,3% da produção estadual.

 

Produção de arroz oscila e de feijão aumenta

 

Acerca do arroz, a PAM apontou que a produção tem oscilado de um ano para o outro. Em 2020, foram produzidas 112 mil toneladas deste produto. Os municípios de Rondônia que mais produziram arroz foram: Porto Velho (36 mil toneladas), São Miguel do Guaporé (12 mil toneladas), Pimenteiras do Oeste (11 mil toneladas), Corumbiara (nove mil toneladas) e Nova Mamoré (sete mil toneladas).

 

Chama a atenção que a área destinada para a produção de feijão tem diminuído, mas a produção tem aumentado. Em 2016, 18 mil hectares foram destinados para esta lavoura em Rondônia e produziram 13 mil toneladas. Já em 2020, foram 16 mil hectares, com uma produção de 15 mil toneladas.

 

O grande destaque na produção de feijão foi Alto Alegre dos Parecis, que correspondeu a 68,5% da produção estadual, tendo produzido dez mil toneladas. Alta Floresta do Oeste (duas mil toneladas), Cacoal (788 toneladas), Porto Velho (430 toneladas) e Jaru (292 toneladas) completam o ranking dos cinco maiores produtores.

 

Ainda sobre lavouras temporárias, observa-se que a produção de mandioca tem diminuído ano a ano. Em todo o país, houve uma redução de 13,5% entre 2016 e 2020. Em Rondônia, esta redução foi de 21,9%. Das 519 mil toneladas produzidas em todo o estado em 2020, 30,3% foram em Porto Velho. Completam o ranking dos cinco maiores produtores em Rondônia: Jaru (31 mil toneladas), Machadinho do Oeste (28 mil toneladas), Candeias do Jamari (25 mil toneladas) e Theobroma (24 mil toneladas).

 

Amabile Casarin

Desenvolvido por Argo Soluções