Porto Velho / RO - quinta-feira, 24 de junho de 2021
(67) 99967-8787

Sesau monitora rede de atenção psicossocial com objetivo de viabilizar atendimento na área de saúde mental

Publicado em: 01/06/2021 - 3:02

Mesmo diante de um cenário tão delicado, causado pela pandemia do coronavírus, o Governo de Rondônia, por meio da Secretária de Estado da Saúde (Sesau), não mediu esforços para garantir atendimento psicossocial aos municípios. O Estado conta com mais 20 Centros de Atenção Psicossocial (Caps), que buscam minimizar os impactos em saúde mental provocados, não somente pela covid-19, mas por outros fatores, que fragilizaram o sistema emocional, gerando transtornos mentais.

Para assegurar a prestação desse serviço, a equipe da Rede de Atenção Psicossocial (Raps) da Sesau realiza o monitoramento em todos os municípios de Rondônia. “Por conta da pandemia, alguns serviços diminuíram. O que queremos, além da retomada do atendimento psicossocial, é ampliar esse serviço. Estamos resgatando, tanto melhorias no atendimento do Caps, como dos leitos psiquiátricos de internações, ofertando suporte também nos presídios para apenados que estão em tratamento mental”, ressaltou a enfermeira da Raps da Sesau, Franscine Colombo Bueno

As unidades do Caps contam com equipes multiprofissionais compostas por médicos psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros e terapeutas ocupacionais, que avaliam o quadro de cada paciente, além de indicar o tratamento adequado para cada caso. O Caps atua também no acolhimento às situações de crise, nos estados agudos da dependência química e de intenso sofrimento psíquico, e a internação hospitalar só é indicada quando esgotadas todas as possibilidades terapêuticas disponíveis.

O Ministério da Saúde liberou em 2020 mais de R$ 600 mil para os municípios de Rondônia ampliarem os atendimentos em saúde mental durante a pandemia. O incentivo financeiro, instituído pela Portaria nº 3.350, foi destinado para qualificar as ações ofertadas nos Caps – pontos que realizam atendimento especializado para pacientes com doenças ou transtornos mentais no Sistema Único de Saúde (SUS).

“Essa monitorização é extremamente importante para termos um verdadeiro diagnóstico da situação. Nossa preocupação é ofertar atendimento digno e humanizado a quem de fato precisa. É claro que o cenário de pandemia inspira cuidados, mas estamos fazendo nossa parte”, detalhou a gerente Regional da Sesau, Miriam Moreira.

Em Rondônia, muitos profissionais dos Centros de Atenção Psicossocial optaram em manter o atendimento voltado à saúde mental utilizando as plataformas digitais, que é muito similar à terapia tradicional de consultório. A diferença é que o paciente pode ser atendido em qualquer ambiente.

Em 2020, a Sesau investiu cerca de R$ 1,5 bilhão para abertura de novos serviços da Rede de Atenção Psicossocial. Também neste ano, o Ministério da Saúde repassou cerca de R$ 650 milhões para aquisição de medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica utilizados no âmbito da saúde mental, em virtude dos impactos ocasionados pela pandemia.

Atualmente, a Raps conta com 791 residências terapêuticas; 68 unidades de acolhimento (adulto e infantojuvenil); 1.785 leitos de saúde mental em hospitais; 13.851 leitos em hospitais psiquiátricos, 50 equipes multiprofissionais de atenção especializada em saúde mental e 144 consultórios na rua.

Ascom Governo de Rondônia

Desenvolvido por Argo Soluções